Desenvolvimento PessoalGestão de Pessoas

Dicas para deixar de procrastinar e seu 2020 ser mais produtivo!

Para muitos, ano novo costuma ser sinônimo de recomeço.

É comum, nessa fase, criarmos resoluções, objetivos e até querermos mudar de vida, de carreira, repaginar total! Com isso, novas metas são anotadas, colocadas nas agendas, postas nos armários e na porta da geladeira. Tudo para que consigamos nos lembrar das nossas promessas, daquele compromisso que estabelecemos com nós mesmos.

Porém, habita em nós, em maior ou menor intensidade, um “ser” que podemos chamar de procrastinação.

O que é procrastinar?

Procrastinar, de forma muito simplista, é o famoso “deixar para amanhã o que pode ser feito hoje”. E esse comportamento é antigo. Hesíodo, poeta grego, há 750 anos a.C. já citava em suas poesias:

“Nada deixes para amanhã ou depois de amanhã, pois o homem negligente no trabalho não enche o celeiro, nem aquele que o adia (…)”.

Procrastinar é o mesmo que ser preguiçoso?

Não, são comportamentos totalmente diferentes. A procrastinação é a lacuna entre a intenção e a ação, ou seja, existe um desejo de fazer algo. Enquanto a preguiça não desperta o desejo em fazer absolutamente nada.

Segundo Joseph Ferrari, pesquisador de renome, sobre o comportamento da procrastinação diz que há dois tipos de procrastinador: o casual e o crônico.

Procrastinador casual é aquele que, vez ou outra, deixa de fazer algo importante e o transfere para o dia seguinte. E isso, de forma ocasional, não gera impacto negativo na vida da pessoa. Somos, em maioria, procrastinadores casuais.

Já o procrastinador crônico sente, quase que diariamente, o impacto de viver uma vida sempre deixando tudo para amanhã. Isso afeta negativamente, não apenas, a sua qualidade de vida, mas também, seus aspectos emocionais.

Por que, procrastinamos?

Existem várias justificativas que utilizamos para deixar de fazer algo importante. Somos mestres na arte de fazer isso. Entretanto, utilizando o conceito da Psicologia, seguem os principais:

– Aversão à tarefa, por ser algo particularmente difícil ou chata de fazer. Isso também tem muita relação com a tipologia dessa tarefa, atividades que não fazem parte da sua natureza. Exemplo: alguém da área de Humanas precisar alimentar uma planilha financeira.

– Impulsividade: Entre uma tarefa chata e outra em que a pessoa esteja mais apta a fazer, ela escolhe aquela que lhe parece mais fácil.

– Distração: Abrir a internet para responder e-mails importantes e dar uma “paradinha” no site de notícias.

– Motivação: A pessoa até quer realizar a tarefa, mas o corpo não sai do lugar.

E agora, como lidar com a procrastinação?

  1. Em sua programação, escolha fazer as tarefas mais “chatas” logo pela manhã, pois, nesse momento, temos muito mais facilidade em resolvê-las por se tratar de um período em que estamos mais dispostos fisicamente e emocionalmente.
  2. Não faça nada: isso mesmo! Pode parecer estranho, mas ao invés de trocar a tarefa chata, por outra prazerosa, pare tudo e fique sem fazer nada. Sentirá um tédio tão grande que o fará retomar a atividade.
  3. Reduza as distrações: é fundamental silenciar o celular, se possível, retire as notificações dos aplicativos. Se for muito tentador, mude o celular de cômodo, utilize um aplicativo chamado Forest – ele é um jogo com temporizador que facilita você não ficar “fuçando” nos aplicativos. Além do celular, faça home office, escolha um cômodo ou ambiente da casa que lhe servirá  de escritório. Faça sua rotina normal de academia, coloque uma roupa como se realmente fosse trabalhar. Isso tudo ajuda seu cérebro entender que está se programando para resolver suas tarefas e de fato ir trabalhar.
  4. Determinação: a força de vontade, segundo algumas pesquisas, é como um músculo, quanto mais se usa, mais terá, mas o contrário, também. Portanto, comece sua tarefa quantas vezes forem necessárias.

Se mesmo com essas dicas você continuar tendo dificuldade, a Zaros Escola de Negócios, possui um time de profissionais capacitados, incluindo Coachs e Psicólogos, para tratar desse assunto.

Patricia de Cássia Silvestrini

Psicóloga – CRP: 06/95056

Consultora de Recursos Humanos Zaros Escola de Negócios

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *